Carreira e TrabalhoNova Zelândia
Tendência

Trabalhar com TI na Nova Zelândia

por Gleisser Santos

Olá leitores do Brasil News, hoje venho neste artigo compartilhar minha experiência de trabalhar com TI na Nova Zelândia.

Compartilhando um pouco de minha história, me chamo Gleisser Santos, e trabalho como programador desde 2010, sempre tive o desejo de trabalhar com isso no exterior por ver o avanço tecnológico que as empresas de fora do Brasil tinham em comparação as nossas empresas.

Mas por muitas vezes esse objetivo parecia distante por vários motivos: barreira do idioma, conhecimento técnico aprofundado, localização geográfica e por aí vai. Porém em 2015 fiz a decisão de me preparar para imigrar.

Primeiro passo

Comecei traduzindo meu perfil do LinkedIn para inglês e também fazendo uma versão em inglês do meu currículo. Também comecei a pesquisar os principais sites de busca de emprego dos países.

Porém me deparei com um problema, ter um escopo muito aberto para os países não ajudava muito, pois ao passar por algumas entrevistas iniciais com alguns entrevistadores estrangeiros eu me deparava com a pergunta “Por que você quer se mudar para nosso país” ou “Quanto tempo você precisa para se mudar para nosso país” e a resposta para essa pergunta varia de lugar para lugar.

E isso se dá principalmente por causa do processo do visto, cada nação tem seus detalhes e características quando se trata de visto.

“[…] Ter um escopo muito aberto para os países não ajudava muito, pois ao passar por algumas entrevistas iniciais com alguns entrevistadores estrangeiros eu me deparava com a pergunta “Por que você quer se mudar para nosso país” ou “Quanto tempo você precisa para se mudar para nosso país” e a resposta para essa pergunta varia de lugar para lugar.” Gleisser Santos

Escolha do país

Então decidi escolher um país para me concentrar, após varias pesquisas a Nova Zelândia me chamou a atenção, por ser um país com uma temperatura mais semelhante ao de onde eu vim (Curitiba), falar uma lingua que eu tinha algum conhecimento prévio, praias a vontade, inúmeras belezas naturais e por fim alta demanda por profissionais de TI.

Com isso foquei minhas aplicações a empresas neozelandesas. Eventualmente fazia alguma entrevista de outro país com o único propósito de treinar para outras que eu realmente queria.

Fiz várias entrevistas do Brasil, algumas foram muitas boas, porém o fator geográfico foi um grande impeditivo, as empresas da Nova Zelândia sempre vão dar preferencia a quem já estiver morando aqui e também já possuir algum visto que permite trabalhar imediatamente.

Então tomei a decisão de vir para a Nova Zelândia e fazer as entrevistas presencialmente, eu tinha 3 meses para conseguir um emprego e agilizar minha vida, devido a duração do visto de turismo na época.

Portanto desde a manhã do primeiro dia que cheguei na Nova Zelândia comecei a enviar meu currículo, e recebi várias ligações.

Porém o obstáculo era o visto dessa vez, dificilmente eles contratam alguém que possua o visto de turista somente, mesmo assim não desisti e continuei minha sina de fazer entrevistas, até que após 4 semanas recebi a tão sonhada Job Offer (Oferta de Emprego).

Entrevista na Nova Zelândia

Sobre as entrevistas, existe uma diferença bem grande entre as que tive no Brasil e na Nova Zelândia, primeiramente eles gostam de uma conversa por telefone para te conhecer e entender suas experiências e expectativas.

Após esse contato inicial que é feito por uma agencia de Recursos Humanos em sua maioria, eles te encaminham um teste técnico compatível com sua área, muito similar com testes que vemos no LeetCode, HackerRank e outros (aliás vale muito a pena treinar nesses sites para se preparar bem).

Se passar nesse testes eles geralmente te convidam para uma entrevista que pode balancear entre perguntas técnicas e de comportamento com um Gerente ou Líder da empresa que está lhe oferendo a vaga, em alguns casos eles pedem para você demonstrar seus conhecimentos no quadro branco ou mesmo criar um programa simples para demonstrar seu estilo de trabalho.

HR managers having job interview with female candidate, sitting against window

Geralmente o processo de entrevistas e contratação levam tempo, e em sua maioria consiste em mais de um encontro, isso se deve por que as empresas neozelandesas realmente querer escolher a pessoa certa, pois o objetivo é investir e contar com ela por muito tempo, muito raramente eles demitem alguém nessa área.

Após receber a Job Offer, você é responsável por agilizar seu visto de trabalho ou residência, para isso você pode contratar um Immigration Adviser como o NZVisto ou tentar fazer por conta consultando o site da Imigração, lembre-se de já possuir seus documentos, certificados, cartas de recomendações já traduzidos, nosso parceiro TranslationsNZ faz um ótimo trabalho nessa área.

Cultura das empresas

O dia a dia nas empresas de TI aqui na Nova Zelândia são bem diferentes do que meus dias no Brasil, o pessoal aqui é bem flexível na questão de horários, desde que você entregue o trabalho esperado. Também existe uma cultura de muitas reuniões antes de criar ou desenvolver algo, outra coisa que notei é a ausência de diferenciação entre gerentes, programadores, CEOs, etc; todos possuem o mesmo tratamento independente de seu cargo na empresa. Geralmente o ambiente é informal, com muito respeito a cultura e hábitos a todas as pessoas.

O mercado da área de tecnologia

O mercado de TI na Nova Zelândia é bem aquecido, mesmo assim as empresas esperam que você trabalhe pelo menos entre 3 a 4 anos na empresa, uma pessoa que passa a impressão de trocar de emprego constantemente a cada oferta, pode ser mal visto por algumas empresas.

Também por ser um imigrante, na maioria das vezes as empresas esperam um nível Senior de você em sua área de atuação, sendo que níveis Junior e Intermediário (ou Pleno), são geralmente oferecidos para cidadãos ou residentes do país.

Nas minhas pesquisas tenho visto que a maioria das vagas foca em serviços de Programação, Big Data, Testing ou Gerenciamento/ Liderança, mas você pode olhar no Seek ou no TradeMe para ter uma idéia melhor.

Em resumo, trabalhar na Nova Zelândia com TI é muito bom, mas exige dedicação e preparação, quem sabe você é o próximo aqui.

Quer saber mais sobre o assunto? veja essa entrevista com os nossos parceiros do O que Ninguém Te Conta

Gostou do artigo trabalhar com TI na Nova Zelândia ou possui dúvidas ou comentários? deixe uma mensagem para nós.

Quem é Gleisser Santos

Gleisser Santos, possui MBA em Gerenciamento de Projetos e Programador na área de TI, nasceu em Curitiba no Paraná. Criou o projeto Brasil News juntamente com Lia Santos para  auxiliar outros brasileiros a se adaptarem melhor na Nova Zelândia. Adora aprender coisas novas, passar tempo com a família. Atualmente vive na cidade de Auckland, e se diz realizado por morar na Nova Zelândia.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo