Carreira e TrabalhoNova Zelândia

Suporte para ajudar fluxo de caixa de pequenos negócios

por André Nunes

O governo da Nova Zelândia anunciou em fevereiro novas iniciativas para ajudar as pequenas empresas a se recuperarem da pandemia.

Entre as iniciativas foi anunciado um aumento no limite de uma modalidade de empréstimos sem juros, chamada Small Business Cashflow Scheme (SBCS), e que está sendo gerenciada pelo IRD, onde pequenas e médias empresas podem solicitar dinheiro para ajudar no seu fluxo de caixa.

“Esta foi uma ótima decisão do governo, pois as pequenas empresas não estão precisando apenas de subsídios para pagar salários, e sim dinheiro para fazer fluxo de caixa e cobrir outras despesas.”, diz André Nunes, coach e orientador de negócios da Accelerate Growth.

Cambio
Dinheiro

Em fevereiro de 2022, o Governo anunciou que o empréstimo base do SBCS aumentaria de $10.000 para $20.000. Isso significa que, para novos empréstimos, o valor que pode ser emprestado será de $20.000, mais $1.800 por cada funcionário que trabalha em tempo integral (com limite de até 50 funcionários).

Como exemplo, se uma empresa possui 5 funcionários que trabalham em tempo integral esta empresa poderá solicitar $29.000 através desta modalidade de empréstimo.

Este empréstimo poderá ser pago em até 5 anos (60 meses).

As empresas que já possuem um empréstimo da mesma modalidade também poderão se beneficiar dessa mudança, pois poderão solicitar um valor de até $10.000 para fazer um top-up, mais qualquer valor para o qual são elegíveis, mas que não receberam em seu empréstimo inicial. As inscrições foram abertas em 21 de março de 2022.

Os primeiros 2 anos de empréstimos existentes e novos empréstimos serão isentos de juros, desde que a empresa pague em dia. Sobre o saldo remanescente do empréstimo, ou seja, os outros 3 anos, incidirão juros à taxa de 3% ao ano a partir do primeiro dia do terceiro ano do período do empréstimo.

Para uma empresa ser elegível para solicitar este suporte ela precisa estar operando por pelo menos 6 meses,

Businessman with a phone in his hand.

todos os indivíduos que são empregados precisam estar trabalhando legalmente na Nova Zelândia, a empresa deve ter tido uma redução de pelo menos 30% no faturamento e deve apresentar um plano demonstrando que o negócio ainda é viável e que permaneça viável nos próximos anos.

Todos os critérios de elegibilidade podem ser acessados neste link.

“Muitos donos de pequenas empresas têm nos procurado para revisar seus negócios e elaborar um plano estratégico e financeiro de médio e longo prazo que ajude a garantir que seus negócios se recuperem, se adaptem à nova realidade e continuem crescendo. Este exercício de planejar para o futuro e ter um plano robusto tem sido a melhor forma de demonstrar para as instituições financeiras como bancos e financeiras, e para o IRD que seus negócios estão bem estruturados e continuarão sendo viáveis pos-covid”, explica André.

Outras instituições privadas como Prospa, Harmoney, Bizcap e alguns bancos como Heartland, Westpack e ASB também oferecem empréstimos entre $5.000 e $100.000 para pequenos negócios, desde que estes tenham um faturamento de pelo menos $5.000 por mês.

Quem é André Nunes

Coach e orientador de negócios na Accelerate Growth, gerente de projetos de tecnologia, possui mais de 10 anos de experiência em análise de negócio e gestão de produtos, formado em administração de empresas e tecnologia da informação.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo