Carreira e TrabalhoNova Zelândia

Refletir sobre pontos fortes para mudar de carreira

por André Nunes

Esta é a primeira postagem de três artigos que trazem recomendações para você que quer mudar de carreira ou fazer uma transição de carreira do Brasil para a Nova Zelândia.

Conversando com pessoas que vivem na Nova Zelândia e já passaram por processos seletivos você irá perceber que a grande maioria dirá que o processo de seleção é diferente comparado com o do Brasil.

Sim, isso é uma verdade porque os empregadores Neozelandeses valorizam mais a personalidade do candidato, as competências e habilidades adquiridas durante a experiência profissional ao invés da formação acadêmica e cursos que foram realizados.

Eu sempre falo aos profissionais que passam pelo nosso coaching de carreira que antes de começar um novo emprego, uma nova fase da sua vida pessoal, um novo plano educacional e até mesmo um negócio, é sempre uma boa ideia fazer uma reflexão sobre a sua experiência, educação, competências e habilidades, pontos fortes, interesses e valores.

Este é o momento em que você deve ser honesto com você mesmo e preciso em alguns aspectos: não se valorize mais ou menos. Apenas reflita na questão:

O que você fez bem no passado e pode levar para o seu futuro? 

É importante abordar esta fase de reflexão com a mentalidade de um aprendiz: não assuma que você já sabe

 tudo sobre si mesmo. Você está em busca do melhor em si mesmo (o que também leva em consideração as áreas que você não deseja desenvolver mais). Não se preocupe ainda sobre onde ou como você pode aplicar o que está aprendendo sobre si mesmo; isso está no próximo passo. Por enquanto, mantenha o foco simplesmente em você.

À medida que você conduz sua auto avaliação, medos e resistências podem surgir, pois seu crítico interno provavelmente começará a dialogar com você. Se, ao pensar em seu passado, você encontrar um problema ou uma experiência negativa, coloque foco em como você superou o problema? Um passado negativo não significa um futuro negativo. Na verdade, aprender com o passado e avaliar sua resiliência e determinação pode ser uma ótima maneira de garantir que o passado permaneça no passado. Se você fez escolhas no passado que não funcionaram, agora você pode aprender com essas escolhas e fazer melhores.

Aqui estão algumas maneiras de abordar o processo de descoberta:

1. Dê uma olhada no seu currículo. Pense em suas várias experiências e anote as habilidades que você desenvolveu ou teve que demonstrar para ter sucesso. Concentre-se em seus momentos de sucesso ou desafios. O que você fez particularmente bem? Quais desafios você superou e como você os superou? Lembre-se, você pode estar um pouco enferrujado em algumas habilidades, mas se você foi bom no passado, poderá ser bom no futuro. Ao pensar em cada uma de suas experiências, pergunte a si mesmo (e anote suas respostas):

O que eu fiz bem?

Que habilidades isso exigia?

Que traços de personalidade ou características eu tive que usar?

O que me interessou nisso?

Isso é algo que eu ainda estou interessado e quero continuar fazendo?

2. Conduza o mesmo tipo de auto avaliação de outras atividades que podem não estar listadas no seu currículo, como hobbies, atividades voluntárias, cargos de liderança, etc. Você pode voltar ao passado tão longe em sua vida quanto necessário. Mantenha um foco positivo, sempre procurando pontos fortes, interesses e traços ou características pessoais.

3. Além de pensar em seus pontos fortes e no que você já realizou, reserve um tempo para pensar também no que mais gostaria de fazer ou aprender. Quais habilidades ou interesses você gostaria de desenvolver em seguida? Talvez você tenha gostado de um projeto ou atividade que representou apenas 10% do seu trabalho, mas gostaria que fosse 80% do seu trabalho na próxima oportunidade profissional.

4. Pegue um caderno de anotações ou crie um arquivo em seu computador/telefone onde você possa criar uma listas de:

Suas melhores habilidades;

Seus melhores traços de personalidade;

Seus interesses;

Seus valores – o que é importante para você?

Sua educação atual e seus objetivos educacionais;

Suas experiências atuais e seus objetivos profissionais;

5. Você precisa de ajuda para identificar suas habilidades, interesses e valores? Você pode conversar com um coach ou conselheiro de carreira que possa ajudá-lo a identificar estes aspectos. Ou converse com um amigo de sua confiança e peça que o ajude com este aspectos. Às vezes você só precisa de uma perspectiva externa.

6. Você também pode fazer alguns testes online gratuitos que fornecerão informações úteis. Apenas lembre-se de que um teste não pode lhe dizer o que fazer. Utilize as informações dos testes na sua reflexão e auto avaliação. Considere qualquer teste um “iniciador de ideias”, não uma verdade absoluta.

Ao fazer esses testes e explorar seus interesses e habilidades, lembre-se novamente de que seu crítico interior pode aparecer. Uma boa maneira de lidar com isso é perguntar ao crítico interior do que ele tem medo. Talvez você tenha alguma ansiedade em torno de um novo emprego ou de sua capacidade de ter um bom desempenho. Você pode optar por agradecer ao crítico interior por informá-lo sobre suas preocupações e pode dizer para ele que você tentará de qualquer maneira. 

Lembre-se de que a mudança é difícil, e quanto mais importante for a mudança em sua vida, maior a probabilidade de você encontrar desculpas para não seguir em frente. Saber que isso é normal pode ajudá-lo a lutar contra essas ansiedades e barreiras.

Algumas perguntas a serem feitas ao revisar as listas que você criou:

  • Quais são os meus cinco principais pontos fortes? 
  • Quais eu quero continuar usando? 
  • Como eles podem me ajudar no futuro?
  • Quando eu tive o melhor desempenho? O que eu estava fazendo? O que eu gostei de fazer naquele momento?
  • Quais são os meus talentos – aqueles que outros podem não conhecer? 
  • Quando eu fiquei mais orgulhoso de mim mesmo? Por quê? 
  • O que isso diz sobre mim?
  • O novo emprego em questão apreciaria essas habilidades? 
  • Como essas habilidades me tornaram em um funcionário melhor?
  • Qual é a história que eu poderia contar a um recrutador sobre essas habilidades ou características?

Você deve presentear a si mesmo com o tempo para refletir e explorar seus interesses, pontos fortes, habilidades e valores. O retorno valerá o investimento.

Caso precise de ajuda com o seu processo de mudança de carreira ou transição da sua carreira do Brasil para a Nova Zelândia não deixe de entrar em contato.

Quem é André Nunes

Coach de carreira e empreendedorismo e orientador de negócios na Accelerate Growth, gerente de projetos de tecnologia, formado em Administração de empresas e TI, começou seu trabalho como coach em 2020 e lançou o portal “Resistência Mental“, para ajudar os brasileiros no exterior, depois de ter trabalhado por mais de uma década para grandes empresas do setor privado no Brasil e Nova Zelândia.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo