Carreira e TrabalhoComunidade Brasileira

Promovendo e Conectando Brasileiros da Área de TI na Nova Zelândia

Entrevista com Shay Bogomoltz por Lia Santos

É sensacional ver o quanto uma iniciativa e boa vontade pode influenciar em algo bom e positivo para a comunidade.

A entrevista do hoje é com Shay Bogomoltz, o criador do documento New Zealand for Dummies, se não conhece, é um documento viralizado entre os grupos do Facebook, onde contém dúvidas comuns sobre a Nova Zelândia.

Shay também é idealizador do famoso Encontro de Brasileiros da Área e TI na Nova Zelândia.

Conheça agora sua história!

Shay, conte nos um pouco da sua história.

“Me chamo Shay (tipo chá + i) tenho 32 anos. Nascido e criado na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro vindo de uma família tradicional judaica. Estudei numa escola judaica chamada TTH e na parte da tarde ia ao clube jogar bola com a galera e ao Shopping Tijuca.

Trabalho com TI desde os 17 anos quando comecei formatando computador e dando manutenção para os meus amigos.”

Shay e sua esposa em um dos locais com neve na Nova Zelândia. Foto: arquivo pessoal.

O que te levou sair do Brasil? Por que a Nova Zelândia?

“Após o meu casamento em 2015, eu e minha esposa achamos que se um dia quiséssemos sair do Brasil esta seria a oportunidade ideal. Então logo após o nosso casamento, começamos a pensar em como fazer para começar a vida em um lugar diferente, um lugar que tivesse um pouco mais de segurança e uma melhor qualidade de vida.

Uma das coisas que tínhamos certeza era que que queríamos um país de língua inglesa para facilitar na ambientação.

Entre os principais países possíveis (EUA, Inglaterra, Austrália, Canadá, Nova Zelândia), fizemos um levantamento durante uns 3 meses para entender o que cada país teria para oferecer e quais seriam os custos, facilidades de visto e outros aspectos.”

Como foi sua preparação para imigrar?

“A preparação para a imigração demorou por volta de um ano e tivemos bastante trabalho. Tanto eu quanto a minha esposa queríamos que a imigração fosse o mais tranquilo possível, então o segredo era ter um bom planejamento.

Aeroporto de Auckland. Foto: arquivo pessoal.

Começamos a reunir um monte de informações dos grupos de facebook, internet e sites oficiais num documento para ajudar a saber tudo sobre a NZ. Desde quais operadoras de celular existem e qual o valor do plano mensal até sobre como ter acesso ao sistema de saúde.

Ao mesmo tempo tínhamos uma planilha que controlávamos o nosso planejamento financeiro que deveria cobrir o quanto precisaríamos juntar para pagar os cursos e ficar na NZ até conseguir o visto que trouxesse uma segurança maior.

Acho que todo esse planejamento fez com que estivéssemos bem preparados para chegar aqui e já sabíamos como as coisas aconteceriam nas primeiras semanas.”

O que você aprecia em sua vida na Nova Zelândia?

Foto: Arquivo pessoal. Shay com a esposa e a filha em uma praia da Nova Zelândia.

“Acho que em primeiro lugar a segurança, ao longo da minha vida fui assaltado umas 4 vezes no Rio de Janeiro sendo que no último assalto apontaram uma arma para a minha cara. Também gosto muito do estilo de vida da NZ.

Depois de quase 5 anos morando por aqui acho que aprendemos a ter uma vida um pouco menos corrida e apreciar um pouco mais as coisas simples da vida. Como não temos familiares aqui na NZ, acabamos por ter laços mais fortes com amigos que obviamente acabamos por conhecer aqui em Auckland.”

Conte um pouco sobre o documento New Zealand for Dummies.

“Como comentei anteriormente, durante a nossa fase de planejamento começamos a montar um documento para ajudar a entender o que estaria por vir na NZ.

Um certo dia um amigo me mandou uma mensagem para conversar sobre como era a vida na NZ e o que eu tinha feito de planejamento, eu mandei para ele o link do meu documento e uns dias depois ele disse que o documento estava bem completo e tinha bastante coisa que ele não tinha parado para pensar.

Com um tempo eu comecei a querer ajudar outras pessoas no Facebook que tinham as mesmas dúvidas que eu tive. Percebo que entre os mais de 20 grupos de Brasileiros sobre a NZ no Facebook, as mesmas perguntas são feitas constantemente.

Então daí surgiu a oportunidade de ao invés de em cada pergunta responder a mesma coisa, seria mais fácil indicar para um repositório com as respostas ou pelo menos um indicativo de onde procurar as respostas.

No início eu tinha receio de aceitar outras pessoas escreverem no documento, porém com o tempo eu percebi que outras pessoas também estavam contribuindo e ajudando no documento a ficar mais completo.

Hoje o documento contém mais de 120 páginas com perguntas e respostas sobre a NZ.”

Shay também participou de um bate papo muito interessante com a Gaea Podcast sobre passar um ano em Israel, quer conferir Aqui.

Nos fale sobre sua profissão no Brasil e na Nova Zelândia.

“Trabalho na área de Consultoria de TI, desde 2010 quando ingressei na IBM. A área de consultoria de TI é bem interessante, pois é onde fazemos a conexão entre o que o Business precisa e como a TI de maneira geral vai fazer para prover o suporte necessário para as empresas.

Geralmente a consultoria de TI foca em melhoria de processos e otimização do desempenho.

Aqui na NZ eu trabalho no time de consultoria (Consulting) da EY que é considerada uma das maiores 4 empresas de contabilidade do mundo, as chamadas de Big 4.”

Como você iniciou o projeto de unir os brasileiros da área de TI na Nova Zelândia?

“Uma das minhas estratégias ao chegar na NZ foi tentar encontrar com outros profissionais de TI (preferencialmente Brasileiros) e fazer um networking para poder entender mais sobre o Mercado de trabalho.

Então aos poucos fui começando a criar um documento similar ao NZ for Dummies, porém focado na galera de TI.

O grupo de facebook para Brasileiros que trabalham com TI na NZ, organizei em 2016 e tivemos umas 15 pessoas que se juntaram para ir tomar uma cerveja. Após este encontro ficou um gostinho de quero mais e uma oportunidade de fazer algo grande e bem legal.

Então, conversei com dois outros Brasileiros que são da área (Abílio e Kimura) e daí surgiu o primeiro grande encontro da galera.”

O encontro de brasileiros da área de TI na Nova Zelândia ocorre em Auckland. Foto: Arquivo pessoal.

Primeiro evento…

O nosso primeiro grande encontro foi em 2019 na IBM onde tivemos por volta de 100 Brasileiros. Outras coisas que também atingimos enquanto uma micro comunidade foi manter uma pesquisa salarial só dos brasileiros que trabalham com TI na Nova Zelândia e como nos comparamos com outras nacionalidades.

Como nossos eventos estavam crescendo e ganhando uma visibilidade maior, tivemos a oportunidade de trazer recrutadores de empresas grandes para quem sabe ajudar algum colega que estivesse procurando.

“Quando uma das recrutadoras da Datacom nos informou que uma pessoa com visto de estudante, tinha sido contratada e eles estariam aplicando para o visto para aquela pessoa, para mim foi uma sensação muito legal, eu sinto que naquele dia o nosso trabalho realmente mudou a vida de alguém.”Shay 

Em 2020 acabamos diminuindo um pouco o ritmo por conta da pandemia, porém estamos com uns planos legais para 2021 !!! Aguardem…”.

Se algum profissional da área de TI quiser falar contigo, como entrar em contato?

Boa e velha mensagem no WhatsApp… +642102858461… Eu já aviso que geralmente demoro um pouco a responder, já que durante o dia o meu trabalho acaba me deixando bastante ocupado, mas quando tenho um tempo livre sempre paro para responder as dúvidas que me mandam ou que vejo nos grupos de whatsapp.

Deixo claro que sempre vai ser a minha opinião e outras pessoas podem ter opiniões diferentes.

NZ For Dummies –> Nova Zelandia for dummies – Google Docs
Documento para a galera de TI –> shaybogomoltz/BRITNZ: Conectar Brasileiros que trabalham com IT na NZ (github.com)

LinkedIn –> Shay Camlot Bogomoltz
Instagram –> @shay.bogomoltz 

Querido leitor

Gostou da entrevista com o Shay? Tem interesse em saber mais sobre a área de TI? Deixe um comentário”.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo