Comunidade

O que os brasileiros amam na Nova Zelândia

Depoimento de brasileiros que residem na Nova Zelândia

Perguntamos a alguns brasileiros que moram na Nova Zelândia o que eles amam no país, segue abaixo suas respostas. Alguns dos participantes enviaram sua opinião em áudio e nossa equipe fez a transcrição.

Próximo artigo será: “O QUE NOS FAZ SENTIR SAUDADE DO BRASIL?“. Se deseja participar com sua opinião, envie o texto para o e-mail ou o áudio para o número de whatsapp com o título da pergunta acima.

Contato

E-mail: [email protected] ou através de nossa Fanpage

Depoimentos

Raquel Rodrigues

“O que eu amo na Nova Zelândia é esse país calmo, muito calmo; eu não tenho medo como tinha no Brasil o tempo todo. Amo a organização, tudo está sempre limpo, sempre arrumado nas ruas. Essa organização é fantástica, isso não se vê no Brasil. Eu amo a cidade, a acho linda e amo as praias. Meu sonho era morar na beira da praia e estou realizando meu sonho agora. Isso é que amo na Nova Zelândia é maravilhoso tudo isso.”

Perfil

Minha profissão na Nova Zelândia é fazer WaterProff na construção civil, é o trabalho de impermeabilização em varandas, em janelas etc., gosto de passear com a família e ir a praia.

Bárbara Marinho

Oi meu nome é Bárbara, tenho 20 anos e moro na Nova Zelândia há um ano e quatro meses. Estou na Nova Zelândia estudando inglês e minha família está toda aqui.

Festival Chinês

Uma das coisas que mais amo na Nova Zelândia são as praias maravilhosas, amo o clima do verão e o fato daqui ser seguro e ter muita organização, de ter limpeza nas ruas e bairros. As paisagens aqui são lindas e incríveis, o transporte público funciona e é muito bom, as escolas públicas são muito boas, os parques são grandes e muitos lindos e no outono fica maravilhoso e muito lindo. O céu e o pôr-do-sol daqui são muito, muito lindos, principalmente no inverno.

Sky Tower

A diversidade das pessoas, tem gente do mundo inteiro. Você pode conhecer pessoas do mundo inteiro aqui e conversar com elas na mesma língua, pois com o inglês você consegue conversar sem precisar saber a língua nativa da pessoa e ainda assim poder aprender mais sobre culturas diferentes, aprender novas línguas, o mundo todo está aqui. É muito interessante! É isso tudo que amo na Nova Zelândia e muito mais.

Perfil

Estudante
Hobby: maquiagem, gravar vídeo no Youtube

Daniel Spat

O que mais gosto na Nova Zelândia é a qualidade de vida que temos aqui. Qualidade de vida pode incluir vários fatores, mas o que eu valorizo muito aqui é tranquilidade para andar em qualquer lugar (muita segurança), muitas opções de lazer envolvendo natureza e trabalhos que respeitam a vida pessoal.

Estou morando aqui há um ano e meio e gosto muito da valorização que o povo daqui dá à natureza. As cidades têm muitos lugares bonitos para conhecer gratuitamente. Morei em Auckland e atualmente estou em Wellington e as duas cidades possuem muitos parques e trilhas de caminhada em muitos pontos das cidades. A segurança permite às pessoas andar nessas trilhas e explorar as cidades sem preocupação. Viemos de Auckland para Wellington dirigindo e notamos que há vários mirantes ou lugares com mesas indicados por placas para estacionar e descansar um pouco ou comer algo. Todos que paramos também estavam em ótimo estado.
Estou trabalhando com TI aqui e percebi que eles trabalham durante o expediente mas evitam ao máximo a necessidade de hora extra e os finais de semana também são bem respeitados.

Perfil

Profissão: Software developer
Hobby: Play games

Gleisser Santos

Dia de visitação ao set de filmagem da Sky TV

Olá Brasil News, meu nome é Gleisser Santos, moro na Nova Zelândia há quase três anos.Trabalho como desenvolvedor de sistemas em uma empresa de mídia. O que mais amo na Nova Zelândia é o ambiente de trabalho. Desde que comecei trabalhar nas empresas aqui, percebi que a mentalidade é bem diferente das empresas do Brasil.

Foto por Gleisser Santos – Milford, North Shore

Por exemplo, a flexibilidade de horário. Se chegar antes ao trabalho tem toda liberdade de sair antes, se chegar depois sai depois. O que importa aqui é a entrega do seu trabalho e dos projetos que lhe foi designado a fazer. Eu por exemplo, chego às 7 da manhã e saio às 3 e meia da tarde e ainda tenho tempo para estar em casa com minha família, aproveitar o dia ainda com sol, brincar com meu filho etc. Outra coisa muito interessante aqui é algo chamado sick leave, as empresas têm geralmente de 5 a 10 dias de sick leave. Caso você não esteja bem, ou não tenha dormido bem por qualquer motivo que lhe deixe indisposto a trabalhar, você comunica seu gerente que você não está bem e você tira esse dia de descanso, assim que melhorar simplesmente retorna ao trabalho. Não precisa provar nada, não tem necessidade de atestado médico, eles simplesmente confiam em você. Isso é algo muito bom, pois estabelece uma relação de confiança entre você e a empresa, além de ser um grande benefício porque você é pago por esses dias como se tivesse trabalhado normalmente. Aqui a mentalidade de trabalho é diferente, pois aqui valorizam o equilíbrio entre vida e trabalho. Caso necessita resolver algo que não esteja bem fora do trabalho, apenas notifica-se ao gerente e sai para resolver. Nunca recebi um não ou um olhar desconfiado por solicitar isso, pois é bem tranqüilo, principalmente se você tem bom desempenho e é bom funcionário não há motivos para desconfiarem de você. Isso é algo muito cultural daqui. Comparando um pouco com o Brasil, onde há uma exploração onde se exige um empenho maior de função ou de horas extras para ganhar um salário baixo e pouco reconhecimento; na Nova Zelândia é outra realidade, pois dão muita segurança quanto ao que você está atuando, sente-se reconhecido e pode aproveitar a vida além do trabalho dando um tempo de qualidade à sua família.

Perfil

Profissão: Software Developer Senior
Hobby: Play game e jogar futebol

Marilyn Inglez

Foto por Marilyn Inglez – Desert Road com o Mount Ruapehu

Bom, falar sobre o que os brasileiros mais amam na Nova Zelândia; acho que nós temos uma coisa que amamos em comum que é a segurança. Acho que a segurança que nós temos nesse país nos estimula a estar aqui. Na questão cultural, depende muito de opinião, por muitos brasileiros aqui sentem falta da cultura brasileira, pois nossa cultura é acolhedora, calorosa, e aqui você perde um pouco dessa coisa calorosa e acolhedora, porque aqui as pessoas são mais reservadas. Pessoalmente, o que mais amo, além da beleza natural, da beleza social e de estar em um país seguro, é o aspecto cultural. Aqui é muito bonita a questão familiar. Quando saio para caminhar em um parque ou na beira da praia, vejo muitas famílias. Muitas dessas famílias são de pais mais velhos, casais que preferiram estudar, se preparar e se estabilizar, para depois se relacionarem, casarem e ter filhos. É diferente no Brasil, pois vejo que a questão família no Brasil se perdeu muito, pois se formam muito cedo e com a imaturidade e aí elas não têm bagagem suficiente para sustentar essa relação. E tudo isso está incutido no aspecto social, pois aqui isso é muito forte e me encanta.

Acho que ao falar do que os brasileiros amam na Nova Zelândia, não tem como não fazer um paralelo comparativo, pois temos de olhar ambas as partes e aqui é a nossa segunda casa, nascemos no Brasil, criados e educados no Brasil e ao vir para cá é como um renascimento por vir a outro país. É um choque cultural grande, pois você chega com toda sua bagagem, experiências e formações e tem tudo isso zerado ao interagir com a cultura e sociedade do país. Isso é algo positivo, pois criamos um olhar mais amplo ao compararmos nossa vida antes e depois da mudança de país.

Além disso, o que amo na Nova Zelândia é o lado da natureza. Sim, o Brasil é lindo, mas a Nova Zelândia é tão lindo quanto. Adoro sair na rua e não ver lixo no chão, pois as pessoas aqui cuidam realmente.
O que acho relevante na educação é que o aluno é avaliado para entrar em uma universidade pelo desempenho escolar e não por ir bem em uma prova seletiva. Para mim que sou da área da educação acho isso o máximo, porque você vai por mérito e não porque foi bem em apenas umas prova. Isso é algo que a educação brasileira precisa evoluir muito, ao contrário que por aqui é um estímulo se empenhar para alcançar um nível de desempenho universitário.

Perfil

Formada em Filosofia com especialização em Filosofia Clínica, Psicologia Clínica e Formação em Psicanálise. Profissão PSICANALISTA. Meus Hobbies são: ler, viajar e caminhar na praia.
Fanpage profissional: Marilyn Psychoanalyst

Isis Jennings

Meu nome é Isis moro na Nova Zelândia faz três anos e meio. O que mais amo na Nova Zelândia com certeza é minha família. Conheci meu marido na Nova Zelândia e tive filhos aqui.

O que é mais importante para mim que a nova Zelândia proporciona, é a qualidade de vida para minha família. Tive meus dois filhos em hospital público onde fui extremamente bem atendida. Tive minha filha prematura (32 semanas) e ela teve de ficar hospitalizada por 5 semanas e não consigo pensar em um atendimento ou ajuda melhor que o governo daqui poderia ter dado em termos de saúde. Isso é para mim a coisa mais importante. Tendo a experiência de ter filhos, que é uma questão delicada de saúde para as mulheres e dependendo do tipo de parto, ou seja, tudo desde a gravidez a assistência com a Midwife, que é algo que não temos no Brasil e temos aqui como os ultra-sons check-ups, tudo a respeito saúde em relação à gravidez e parto foi tudo incrivelmente maravilhoso e tudo isso de graça pela saúde pública. Então o que mais amo na Nova Zelândia é sem dúvida a qualidade de vida, de saúde, para você e seus filhos. O que mais gosto é que aqui é um lugar muito familiar, todos os lugares que você vai têm muitos eventos para família, muitos parquinhos, muitos grupos de mães com seus filhos, muitos coisas para seu filho desenvolver todas as perícias que precisam para começar a escola e acredito que logo vou estar amando as escolas. Então é isso que a Nova Zelândia tem para proporcionar para minha família; é o que mais amo na Nova Zelândia, a qualidade de vida para mim e para minha família.

Perfil

Profissão: Mãe
Hobby: Ler e fazer atividades com a família.

Cintya Kerber

Foto por Cintya Kerber Facebook

Me chamo Cintia, tenho 34 anos, moro a um ano e meio na Nova Zelândia. No Brasil eu era técnica ótica e atualmente na Nova Zelândia faço um curso equivalente para ser Optical Dispenser.

No Brasil gostava de jogar futebol, ir na igreja e aqui na Nova Zelândia eu também faço essas mesmas coisas, jogo futebol quando dá e trabalho voluntariamente na minha igreja. Uma das coisas que mais amo aqui na Nova Zelândia é segurança, não quer dizer que não existam crimes, isso não é verdade, mas ainda assim você não se sente inseguro o tempo todo. Não importa a hora da noite, você consegue ver as pessoas andando com celular tranquilamente na rua, vê as pessoas no ônibus sem aquela preocupação de que alguém possa vir e assaltar.

Outra coisa que amo muito aqui na Nova Zelândia é ser muito fácil encontrar parque para passear, parquinhos de criança, pois tenho três crianças, praias que você pode escolher, isso eu acho muito legal aqui. Aqui uma coisa que amo muito é que na cidade, você não tem a noção de estar amontoado. No Brasil, não importa se é uma cidade pequena ou grande as residências são muito perto umas das outras; é muito prédio e muita gente. Aqui você vê mais casas, difícil de encontrar prédios.

Outra coisa que amo aqui é a educação. Aqui ensina também o que é ensinado no Brasil, mas aqui a criança aprende a ser o que ela quer ser. Por exemplo, meu mais novo brinca muito na escola. Ele pode brincar com um martelo de verdade, prego de verdade, madeira de verdade e tentar fazer um carro de brinquedo, óbvio que sempre tem alguém próximo para auxiliar; ele pode brincar na chuva, lama etc. Amo isso na Nova Zelândia, é tudo muito aceito, muito aberto. Meu filho do meio usa uma pista de patinete dentro da escola e as crianças são incentivadas a ir e voltar de patinete para a escola. O meu filho mais velho tem aulas de computação, ele gosta muito. Aqui quanto mais avançada sua classe, mais focado é na área de estudo e ainda assim se aprende muita coisa. Aqui as pessoas se respeitam muito, aqui encontrei pessoas de vários lugares do mundo e no geral se consegue muito respeito, empatia e ajuda para tudo.

Perfil

Profissão: Optical Dispenser
Hobby: Jogar futebol e ir na igreja

Caio Bernardes

Foto por Caio César Bernardes

O que eu amo na Nova Zelândia são as paisagens e vistas desse país. Aqui, o verde parece mais verde e o céu mais azul. O contato com a natureza é muito forte, até em Auckland que é a maior cidade do país.

Foto por Caio César Bernardes

Amo o fato de ser um local pacato e seguro. Para um brasileiro de Recife é chocante viver numa sociedade pouco violenta. Você vê quanto você vivia com medo.

Gosto muito também das pessoas. São, na sua maioria, simpáticos, educados e simples. Além disso, as formas como eles se dedicam a família. Muito mais que ao trabalho.

Foto por Caio César Bernardes

Sâmia Bernardes

Eu amo na Nz a tranquilidade (pois aqui me sinto em paz, sem aquela vida corrida, estressante e cheia de pressão e barulho que tínhamos no Brasil), segurança(me sinto segura para sair a qualquer hora, mesmo que sozinha), pela simplicidade e liberdade de expressão (pois ninguém te julga pela aparência, status social…), educação das pessoas ( cada um respeita o seu espaço), qualidade  de vida (valorizam mais curtir a família e os momentos de descanso do que ganhar dinheiro), não ter tanta burocracia para resolver os problemas, o respeito e valorização do governo  à população ( cidade limpa, organizada, os transportes de um modo geral são pontuais, todas as profissões são valorizadas), diversidade cultural( pessoas do mundo todo convivendo em harmonia) e a Natureza (tudo aqui é mais lindo e colorido, existem muitas árvores e parques espalhados pela cidade, o ar é puro e a natureza bem preservada).

Caio e Sâmia

Nome: Sâmia Bernardes
Profissão: Enfermeira
Nome: Caio César Bernardes
Profissão: Engenheiro da Computação
Hobby: Viajar e conhecer lugares novos.

Caren Silva

New Plymouth por Caren Silva

O que mais gosto aqui é a oportunidade e facilidade de conciliar o lazer com o dia-a-dia. Morando aqui em New Plymouth tudo é bem perto, por ser pequeno e ter várias opções de lazer ao ar livre. Lembro ao sair do trabalho e os colegas sugerirem almoçar na praia próxima e almoçamos lá na praia. Todo dia vejo o por do sol à beira mar, o que é algo que gosto bastante, pois aproveito para uma caminhada. Outra coisa é a questão da segurança, não é perfeito, mas o sentimento de andar aqui é completamente diferente do Brasil.

New Plymouth por Caren Silva
New Plymouth por Caren Silva

Perfil

Arquiteta
Hobby: Viajar e caminhar pela praia

Agradecimentos:

Bárbara Marinho
Caio Bernardes
Caren Silva
Cintya Kerber
Daniel Spat
Gleisser Santos
Isis Jennings
Marilyn Inglez
Raquel Rodrigues

Transcrição dos áudios
Profº Leandro Horn

Gostou do artigo? Deixe um comentário.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar