Saúde | Estilo de Vida

Mau hálito: Descoberta, Causas e Cuidado

Dentista Aline Andrade

Que bafão!

E aí? Você tem, acha que tem ou conhece alguém que tenha bafo?

O mau hálito ou halitose pode ser causado por alguns fatores e merece toda a atenção.

Quantas vezes já sentimos vergonha de abrir a boca por achar que temos mau hálito? Quantas vezes não falamos para aqueles que são próximos a nós que eles têm? Quem tem mau hálito na maioria das vezes não sente, o olfato acostuma-se com o odor. Por isso é muito importante que seja dito a pessoa.

Eu sei que não é fácil, mas se você gosta mesmo da pessoa, a quer ver bem e saudável, não é mesmo? Isso não é vergonha, é um problema que precisa de cuidados. Só não vai chegar falando isso para o seu chefe ou para a sogra.

Brincadeiras a parte, o mau hálito pode afetar a vida de uma pessoa de várias maneiras. Pode causar baixo auto estima, fim de relacionamento, perda de uma vaga de emprego, inibir o progresso profissional, ser motivo de vergonha e problemas no convívio social.

É comum acordarmos com mau hálito. Essa é a chamada halitose fisiológica ou halitose matinal. Quando dormimos há menor produção de saliva, permitindo maior atividade metabólica microbiana (proliferação de bactérias). Essas bactérias podem estar presentes principalmente na língua, e quando fermentadas liberam substâncias ricas em enxofre provocando o mau cheiro. Por isso a importância da limpeza caprichada dos dentes, boca e língua antes de dormir.

Você sabia que 90% das causas da halitose estão relacionadas a higiene e saúde bucal?

Hábitos deficientes de higiene oral, cárie dentária, doença da gengiva, infecções na boca, xerostomia (boca seca) são as causas principais.

Outros fatores podem incluir hábitos como alimentação muito condimentada, dietas, jejuns longos, tabagismo e consumo de álcool.

Doenças sistêmicas relacionadas ao rim, fígado, pulmão, infecções do trato respiratório, diabetes e problemas gastrointestinais como refluxo também tem seu papel.

Alguns medicamentos podem ter efeitos colaterais que provocam mau hálito.

Fatores emocionais também podem ser causadores da halitose, dentre eles a depressão e o estresse. No mundo moderno acelerado que vivemos, quem não anda estressado?

Pixabay

E se eu tiver mau hálito?

Para ter certeza, pergunte a um parente próximo ou a uma criança (por sua sinceridade) se você tem mau hálito. Uma vez que a resposta seja sim, procure ajuda de um dentista.

O dentista deverá fazer uma excelente anamnese (perguntas específicas e detalhadas sobre sua saúde e hábitos diários), um exame clínico completo, plano de tratamento e a instrução de higiene oral.

Instrução de higiene oral?

É quando o profissional ensina as melhores técnicas para a utilização da escova de dentes, do fio dental e da limpeza da língua, de acordo com as suas necessidades. Esses hábitos deverão ser seguidos diariamente.

Preciso de enxaguante bucal?

O profissional também vai te indicar caso seja necessário. Lembrando que esses produtos são químicos e ao eliminar bactérias, eliminam também bactérias saudáveis para seu organismo. Portanto, não deve ser comprado sem indicação do profissional.

Além da ótima higiene oral, a ingestão de 2 litros de água por dia ajuda na prevenção da halitose.

Caso o problema não seja bucal, você então deverá ser encaminhado a outro profissional da área da saúde, de acordo com seu histórico médico.

Independente disso, nunca esqueça de sorrir e deixar sua marca por onde for.

Cuide-se e deixe-se cuidar.

Quem é Aline Andrade

Mãe de três lindos meninos, esposa de um cara bacana, dentista por amor, bailarina amadora, poeta nas horas vagas, mulher com orgulho. Formada em Odontologia pela Universidade Paranaense, especialista em Endodontia pela Universidade São Leopoldo Mandic. Vivendo na Nova Zelândia desde 2018 e amando esse país cada dia mais.
Facebook e Instagram: @dentistalinenz
Johnson and Johnson Dental Care Unit 5, 326 Sunset Road Mairangi Bay
Auckland – Contato: 09-478 7732

Referências

  1. Biesbrock, A, et al. Assessment of Treatment Responses to Dental Flossing in Twins., J Perio 77(8):1386-1391, 2006.
  2. University of Buffalo (Peter Moses, Betsey Clark, Violet Maraszthy, Joseph Zambon, (University of Buffalo), P.K. Sreenivasan (Colgate), Resumen presentado en 2008 AADR Meeting.
  3. Cali, C.M.Tarzia, O.Marcondes, F.K. What causes bad breath? Rev. odontol. UNESP, vol.35, n3, p.185-190, 2006.
  4. Gouveia, G. P. M. Halitose na vida Social dos Individuos: Etiologia, Diagnóstico e Tratamento Relatório de Estagio 2018.
  5. Faber. Halitose. Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial vol.14 no.3 Maringá Jan./June 2009.

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar