NotíciaNova Zelândia

Fim do Lockdown e Começo do Sistema de Semáforo

Primeira Ministra anuncia a mudança para o sistema de Semáforo

A primeira-ministra Jacinda Ardern indicou que todas as empresas, incluindo cafés e restaurantes, abrirão novamente dentro em breve.

Data definida para mudança para nova estrutura

Todo o país fará a transição para o novo Quadro de Proteção COVID-19, conhecido como sistema de semáforos, às 23h59 de 2 de dezembro de 2021.

O Gabinete determinará em 29 de novembro para quais configurações no novo quadro as diferentes partes do país se moverão. Já foi decidido que Auckland se mudará para o vermelho. Os níveis de vacinação determinarão para quais ambientes o resto do país se mudará.

Em preparação para a mudança, o uso de passes de vacina será usado em cabeleireiros em Auckland. A partir de quinta-feira, 25 de novembro, os cabeleireiros poderão reabrir para Aucklanders totalmente vacinados.

Os clientes poderão cortar o cabelo, desde que tenham baixado o My Vaccine Pass, que pode ser solicitado por meio do My Covid Record .

Os cabeleireiros devem operar de forma semelhante ao Nível de Alerta 2. Os funcionários devem usar coberturas para o rosto e deve haver uma distância física de 1 metro entre as cadeiras. Os clientes devem ter uma reserva e podem remover a máscara durante o corte de cabelo.

“Mas Auckland já sabe que vão entrar no vermelho. Isso significa que a hospitalidade reabre, cafés, restaurantes,  ginásios e todos aqueles serviços pessoais próximos que todos têm sentido saudades. Todos eles reabrem”. Afirma a ministra.

 

Falando aos negócios a mensagem da ministra é “vamos reabrir”.

Sistema semáforo será regional

Ardern afirmou que o país inteiro não vai ficar no vermelho, apenas as regiões com níveis de vacinação mais baixos e Auckland, porque é o epicentro do surto do momento.

Em breve o novo normal será o isolamento em casa, disse ela. Reconhecendo que isso ajudaria a parar novos surtos, ao mesmo tempo que evitaria uma situação de lotação nas atuais instalações do MIQ.

“Não queremos ser a Europa. Não queremos estar numa situação em que se perca o controle”.

“Sempre defendemos que a forma que iremos controlar o Covid será mantendo o controle e protegendo as pessoas para que possamos ter aqui a maior liberdade possível”.

A primeira ministra disse também que isso vai permitir que mais pessoas do exterior regressassem à Nova Zelândia em breve.

“O meu trabalho é fazer decisões difíceis mesmo quando nem todos as veem de maneira favorável”.
Ela disse que tem sido um período difícil para muitos neozelandeses, mas que isso vai mudar em breve.

“O COVID criou um ambiente muito difícil. Não há dúvida e não somos os únicos a passando por isto”.

E aí concorda com a Primeira Ministra? Deixe seu comentário!

Fonte: NZ Herald

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo