Turismo e Viagem

Do Match a Nova Zelândia | Um sonho através do Intercâmbio

Por Natália Gomes

Você já parou para pensar como nossa vida muda em instantes? E em como tudo está de um jeito e no segundo seguinte está tudo diferente?

Pois é, eu vivi isso e vou compartilhar um pouco com vocês. Mas antes vou contar um pouco sobre quem eu sou para entenderem onde estou. Então, bora lá!

Natália Gomes / Arquivo pessoal

Meu nome é Natália, sou brasileira, tenho 28 anos e tenho um projeto em conjunto com meu namorado, o Sameyr, que fala sobre nossa experiência aqui na Nova Zelândia (aguenta aí que já chego nessa parte) o @tevejolafora, sou uma pessoa muito carismática e um tanto quanto sincera demais, e acho que tudo isso fez as coisas serem hoje como são.

Um aplicativo mudou tudo

Sameyr de Osasco, Natália de Carapicuíba, São Paulo, capital.

Há um pouco mais de um ano, eu vivia minha vida como queria, estava em uma fase sem muitos planos, apenas estava vivendo e de forma intensa, ou seja, vivia meus dias, sendo feliz e sem planejar muito ao longe. Mas tudo isso mudou! Quando por alguns encalços da vida decidi baixar um aplicativo de relacionamento, na época não sabia muito a onde isso me levaria ou mesmo se queria algo com isso. Mas bem, baixei o tão famoso app e nas minhas passadas para direita ou esquerda, me deparo com um moreno alto, tatuado, barbudo e lindo, pois bem, não pensei muito e logo deslizei para direita, oras bolas, já que estava ali atrás de Deus sabe lá o que, porque não tentar né? Afinal, o não a gente já tinha! (risos)

Só que para minha surpresa o match aconteceu e eu recebi um: ”oi, tudo bem?”, já disse que sou sincera e aqui não seria diferente, mesmo que esteja escrevendo isso para tantas pessoas lerem e saberem da minha/nossa história. Porém, o que eu mal sabia era que aquela troca de comprimentos mudaria minha vida para sempre! Já falei sobre um pouco da minha história com meu namorado em outro artigo que fizemos aqui, o – Dois viajantes sonhadores vivendo na Nova Zelândia – aproveitem e deem uma olhada para ver a perceptiva sobre um olhar em conjunto da nossa história, aqui estou contanto e vou retratar meu olhar e o que isso mudou em minha vida.

Sameyr é descendente Árabe, tem 1.93m e ele é uma pessoa muito carismática e gentil, quem o conhece sabe o tamanho do seu coração. Que vai além da sua altura (risos).

A química

Aquele match foi algo especial, realmente algo bom, algo que não acontecia há muito tempo. Nós nos conhecemos e realmente foi algo mágico, sei que vai soar um pouco quanto maluco, mas rolou uma química e ela era boa, parecia que as coisas tinham tudo para dar certo (e realmente tinham, tanto que estou compartilhando aqui com vocês a história).

Só que eu não contava com uma única coisa, meu moreno alto, tatuado, lindo, meu Deus grego dos sonhos (risos) tinha planos, e isso era um planejamento para a vida e uma mudança de vida por completo e a grande causadora nisso tudo era a Nova Zelândia! Quem imaginaria que um país considerado tão pequeno comparado a tantos outros países, seria capaz de mudar a minha, a nossa vida, tanto e de uma forma louca e linda.

“Decidimos juntos caminhar em uma mesma direção e isso foi a melhor escolha que poderíamos ter decido”. Natália.

A notícia, ele iria embora do Brasil

Logo que nós começamos a conversar, meu namorado o Sameyr, foi bem sincero comigo desde o começo e logo de cara já disse: “Olha, adorei conhecer você. De verdade, você é especial. Mas tem um problema, eu estou indo embora do Brasil, vou para Nova Zelândia. E agora estou em um impasse, não quero te deixar, mas também não posso e não quero ficar mais no Brasil. Não sei o que fazer. Caramba, como assim? Logo agora que o conheço, ele está indo embora! Poxa ajuda ai né Deus.

Depois de algumas conversas e exatos três meses, decidimos fazer dar certo, do jeito que fosse e como desce (e fizemos).

Os planos e a parceria

Ele já tinha data marcada para seu embarque para Nova Zelândia. Dia 20/04/2019 o Sameyr viria para seu intercâmbio e eu ficaria no Brasil, trabalhando, para quando e se tudo desce certo eu vir também, afinal, ele já tinha planos, dinheiro, tudo certo e acertado, já eu, não! Não tinha nada, iria começar do zero daquele momento em diante. E foi o que fiz, nos dias que ficamos juntos no Brasil o ajudei com o que faltava e nos dias que não tinha mais ele por lá, era vez de fazer o que eu precisava.

Sameyr já havia vindo uma vez para Auckland, sabia como funcionava o Intercâmbio, mas agora era vez de nós dois passarmos por esta experiência juntos, porém agora em Queenstown. Sameyr veio primeiro e depois eu vim.

Foi um trabalho de parceria, como sempre falamos, ele fez o que precisava aqui e eu fiz o que precisava lá!
Ele chegou, arrumou um emprego, fez seu intercâmbio e conseguiu um sponser. Já eu fiquei no Brasil, voltei a trabalhar na minha antiga empresa, parei de sair e gastar, para começar a guardar e me planejar.

Não sei se vocês sabem como funciona um intercâmbio, por onde começa, o que precisa, quanto tudo isso custa. Pois eu não sabia, não tinha ideia alguma, já que isso não era meu plano, meu desejo naquele momento e sim o dele, então tive que ir atrás, aprender, entender, pesquisar e saber onde é que ficava a bendita da tão falada Nova Zelândia que ele tanto falava e dizia amar (ele já tinha vindo para cá, em Auckand há alguns anos, essa parte contei lá no outro artigo no qual disse que fizemos juntos, vai lá depois saber mais detalhes desta história).

Intercâmbio, um ato de fé

Queenstown, nosso lar aqui na Nova Zelândia.

Fazer um intercâmbio eu costumo falar que é um ato de fé, tão puro quanto qualquer coisa. Para você ter a coragem de tomar a decisão de parar sua vida por um tempo no seu país e voltar depois, ou mesmo, mudar ela para sempre, deixando tudo o que você esta acostumada, o que você gosta e embarcar para o desconhecido e por muitas vezes sozinho, só você e Deus, sem outra pessoa como nós dois que temos um ao outro, é fé purinha, em você mesmo e em sua capacidade e seu potencial.

Pois o intercâmbio é um mix de coisas boas, maravilhosas e esplêndidas, mas também é um mix do medo, da incerteza e insegurança. Afinal, você está embarcando em um país que não é o seu, com costumes e cultura que não são a sua, sem sua família, amigos, só você, para aprender uma nova língua e enfrentar de frente tudo e qualquer adversidade que possa surgir no meio do caminho, e pode ter certeza que elas acontecem, para o bem ou para o mal. Um bom exemplo é o momento atual que vivemos e ninguém esperava algo como isso. E se isso não é fé, eu não sei o que é! Para mim este sempre será o maior sentimento de uma pessoa que decide fazer intercâmbio vai ter consigo mesmo.

Queenstown/ Arquivo pessoal

Muitos de vocês devem já ter passado pela experiência de viver um intercâmbio, ou logo vão viver essa experiência, e devem estar se perguntando: “Caramba Natália, quer dizer que você se arrepende ou algo assim?”, e eu lhes digo: “não, eu não me arrependo de nada, de nenhuma escolha, pelo contrário, eu agradeço pelo meu ato de fé que tive comigo e com ele, este com certeza foi e será a maior loucura de minha vida, mas é a loucura mais linda, feliz e maravilhosa que poderia ter tido. Fé em mim e se jogado de cabeça.

“Se desafiar é a coisa mais corajosa que você poderá fazer para você mesmo. E o Intercâmbio é um ato lindo de fé em si e em sua capacidade, de conquistar novas experiências, uma vida melhor e diferente de tudo que você possa imaginar.”Natália

Sejam Bem-Vindos! Estamos muito felizes de poder dividir todas essas histórias, momentos e descobertas sobre a Nova Zelândia.

Eu costumo ter um lema na minha vida para tudo e quem me conhece desde sempre sabe que sou assim e quão verdade é isso que vou contar a vocês, eu tenho uma frase para minha vida que é a seguinte: “quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?”. Se vocês olharem para a vida e se perguntarem e observarem o que andam fazendo, onde estão indo, ou deixando de ir, com quem estão saindo, ou conhecendo, o que de fato estão fazendo de legal e novo, que faz sentir aquele frio na barriga, aquela euforia, felicidade e satisfação, vocês vão perceber que fazer coisas novas é sempre a melhor experiência e o melhor jeito de viver nossa vida. E eu vivo assim, nós vivemos assim.

E tenho muitas outras coisas para contar e compartilhar com vocês, tantas primeiras vezes, que ficaremos horas e horas aqui, conversando sobre isso.

A Nova Zelândia é linda, um país maravilhoso e vem me possibilitando viver lindas experiências e maravilhosas primeiras vezes.

E pode ter certeza, será uma linda aventura!

E aí guys, te vejo lá fora?

Espero que sim, lá fora e por aqui, pois eu volto para contar as grandes aventuras, descobertas, perrengues e nossas diversões para vocês. Estão preparados?

Se você tiver alguma pergunta, deixe uma mensagem nos comentários. Quem sabe sua pergunta por se tornar assunto de uma nova publicação.

Quem sou

Prazer meu nome é Natália Gomes, sou brasileira de Carapicuíba, São
Paulo capital. Sou Arquiteta Urbanista e Designer de Interiores.
Sou uma sonhadora que gosta de se aventurar pelo mundo a fora. Proprietária em conjunto com Sameyr Assaf, meu namorado, do Projeto Te vejo lá fora, no Instagram @tevejolafora e Facebook @tevejolafora. Convido você a nos acompanhar pelo mundo a fora.
E aí, @tevejolafora ?

Mostrar mais

Artigos relacionados

8 Comentários

  1. Realmente, intercâmbio não é algo fácil, tanto na preparação (juntar dinheiro, visto e etc) quanto no começo da “vida nova”, mas o importante é se jogar como a Natália mesmo disse. Problemas existiram em qualquer lugar, então melhor se arriscar nas coisas que vão nos trazer crescimento, experiências e felicidade/paz de espírito futuros.

    Gostei do artigo, parabéns!

    1. Olá João. Tudo bem? Gratidão por disponibilizar seu tempo para fazer a leitura do artigo. Agradeço por sua palavras e colocações sobre a realidade de um Intercâmbio. Fazer uma decisão dupla que impacta diretamente em sua vida e e em seu futuro, é como disse, um ato de fé em si mesmo. São obstáculos que passamos dia após dia, mas que você sabe bem o resultado do esforço de se jogar no mundo a fora. Obrigada por seu carinho e seu feadback. E sua contribuição com seu comentário para o artigo. Gratidão. Obrigada. Com carinho Natália Gomes.

    1. Olá Débora! Gratidão por ter disponizado seu tempo para ler o artigo. Fico imensamente grata por poder compartilhar com você, palavras que possam de alguma forma inspirar algo de lindo e maravilhoso em sua vida. Agradeço por sua leitura e seu feadback. E fico muito feliz por sua mensagem. Obrigada. Um grande abraço. Fique com Deus. Com carinho, Natália Gomes.

  2. Adorei conhecer mais um pouco da história de vcs . Uma grande bomba de ânimo. Adorei a expressão que vc usou. Sobre o ato de fé conosco. Depois deste texto a pergunta que ecoa é: quando foi a última vez que fiz algo pela primeira vez ?

    Adorei. E estarei acompanhando os artigos quinzenalmente.
    Super abreijos pra vcs .
    Do Gui e do Ton.

    1. Olá Gui. Tudo bem? Primeiramente quero agradecer seu carinho sempre conosco, você é um ser de luz e um amigo que o @tevejolafora trouxe para minha vida. Saiba que você merece o mundo. Agradeço por suas palavras, suainds colocação sobre meu pensamento. Ter fé em nós, move montanhas, muda o curso de nossas vidas e nos transformam. Está chegando próximo de sua aventura, que assim como a nossa será em conjunto. E posso dizer que tenho certeza que está e tantas outras vezes será a primeira vez mais linda que vocês poderão viver, juntos e separados. Já que como parceiros vocês terão experiências em conjunto e individuais. Mas saiba que é um mundo lindo e vocês já estão se desfiando, vivendo o novo todos os dias. E isso só trará lindos momentos e aprendizados. Obrigada por suas palavras e seu tempo. Gratidão. Com carinho Natália Gomes.

  3. Parabéns, fico feliz em poder conhecer um pouco mais sobre a NZ. Amo poder participar um pouco da vida de vcs, conhecer os lugares por onde se aventuram…felicidades e sucesso sempre. Deus os abençoe grandemente.amo vcs

    1. Olá Tia Marisa. Tudo bem? Agradeço por seu carinho que tem conosco. Obrigada por sua leitura do artigo. Ficamos muito felizes em saber que conseguimos fazer com aqueles que amamos viver um pouquinho das experiências linda que vivemos. É uma satisfação saber que aí do outro lado do mundo é possível viver um pouco do que passamos deste lado de cá do Mundo. Obrigada por suas lindas palavras. Desejamos sempre o melhor para aqueles que amamos. E saiba que também amamos você. Fique com Deus. Gratidão. Com carinho Natália Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo